Remos



- E aquela foto?

- Não é apenas um personagem pra mim, por isso achei que você também veria coisas ali, sobre você. Nossos personagens com identificações nos ajudam a falar sobre nós, um ótimo exercício de identificação. Da colcha de retalhos formada por pedaços deles, resulta um de nós.
Claro: uma colcha serve, mesmo sendo de retalhos, pra cobrir o quê?
Um corpo.

- Lembra do papel de jornal sobre nós? Juntos, abraçados, sujos e sentindo um perfume que seria a indiferença pelo todo? O que me afastou disso foi medo. Mas atrai. Habitat natural é o isolamento junto.

- Coloque uma caixa de som em cada ouvido. Aumente o volume ( para mim ) até que eu desapareça e não haja mais diferença entre eu/você.

..

- E então, ouviu agora? Aquele lance de só estarmos sentados com um texto..
Foi só lucro, mesmo que não envolvesse um centavo..

- Claro que lembro, o que eu e você sabemos fazer melhor é LER COM TUDO QUE TEMOS em nós. "Temos"? Falei isso? "Nosso"? Onde isso levará, ao amor?

- Não lhe parece que somos nós que damos essa condenação?
O cara da pedra me parecia saber do peso e mesmo assim carregar vaidoso de si, num ultimo apego. Aquela cara de dor dele era de dor mesmo? Não parecia ignorar nada nem o nada e mesmo assim continuava.
Por que não se matou? Por que se alimenta de sabotagens, roubos e assassinatos?
Por que desejar o amor, sendo amor?

- É o que assusta os assustados. A cara de dor é de que mesmo ?
Até onde, "honestamente", é apenas dor ? Mas dor de sofrimento melancólico, estagnado ? Não. Somos movimento, alternâncias, nem que seja até não mais fazer sentido a dicotomia.

- Amas assim: porque não deixo a navalha assim pendurada, como uma rodoviária fica pendurada no meio de uma cidade, com uns destinos estranhos.
Amas posto que enfia a navalha até ela virar fibra de teu músculo, ou mais uma rua vazia que não leva, leva a vela, a lugar nenhum, cemitério de festices.

- É bom saber.

- Não saiba.Ou vai usar ( ou deixar de usar) no momento inoportuno.
Agora uma parte sua já sabe, que não é a parte que costumamos dizer que sabe.
A que interessa sabe. A outra, rasa, tábula, faça esquecer. Ou sei lá, Beba!

- Então adeus.

- Não!Por favor!
O "saber" foi fita, charminho mesmo..coisa boba de quem queria dizer que adora mesmo é estar aqui novamente, com você, com esse fio teimoso de saliva.

- Mas então..e essa foto?

- É que não choro mais como se não tivesse vindo.

- Então me passa a bola?

- Claro. Time é time..

..

10 comentários:

Luis Surprises & Grazzi Yatña disse...

Remos... mais alinhados do que nunca.

Isso é lindo!

Mara Giovanna disse...

É TÃO BOM DESCOBRIR O OUTRO E SER DESCOBERTA! KKK BJS

Anônimo disse...

Boa pelada essa! E sem juiz.
Gostei dona Grazi!

Bjos
Dani

Anônimo disse...

Time é "Time".

Adoro esse time...
Torcedora da peimeira fileira.

MM's.

Anônimo disse...

"não choro mais como se não tivesse vindo"

Nem eu mas É FODA.

Paulo Castro disse...

É o primeiro texto em que sinto que nossas criatividades fazem amor. Até agora, no processo, há sempre uma ranhura, uma espécie de sofrimento - em armadilha ou não - que o outro deve desvendar. Vc com sua inimitável quebra da cadeia linguajeira e eu apostando em certa clareza, até tradição narrativa. Dionísio e Apolo. Belo,claro.
Mas aqui e ali as letras fizeram amor.
O que, claro, me espanta. E ironicamente, de maneira nova, estou novamente com uma armadilha diante de mim. De um jogo. De um cubo mágico de incontáveis lados oníricos. Como se:
- Deu na mesma !
Sim, ok, mas foi uma "mesma" que além do estímulo intelectivo, aqueceu o peito aqui.
Beijos.
º

Anônimo disse...

Rapá. Tu desamarrou a fita. Apontou um espelho e sorriu abra-te sézamo, musa e tudo.
Que habilidade.
Acho que foi .... o melhor comentário seu que jamais li.
Que coisa bonita.Você tem essa repetição: a beleza.
Deu até ciúme, só não durou porque faço parte desse time, quer saibam, quer não.
Piutz.
Agora vou tomar um copo de água pra acalmar (ou seja: continuar lendo xico sá).

Bel.

Anônimo disse...

Nóoooo que vertigem tudo isso!Supra!\o/

abraço bom sem fim o seu perigo.rsrs

L

Anônimo disse...

Tão enigmática quanto clara mas só para quem é do time. É isso ou boiei e não sou do time? kkkkk

Adoro vc e foda-se se não entendi.:D

Beijao da Dani.

Zisco disse...

"É o que assusta os assustados. A cara de dor é de que mesmo ?"
Uma revelação e tanto, quase ninguém se preocupa com isso, mesmo pq a resposta pode ser cruel, e jogar tudo por terra, te adoro por tanta sensibilidade e honestidade, teu modo de encarar essas mentiras da vida de qualquer um.

Beijos enormes, Tia Grazzi!